NGS em Oncologia de Precisão – Informações clinicamente importantes – Projeto Tarsila

NGS em Oncologia de Precisão – Informações clinicamente importantes

O avanço da oncologia de precisão requer testes que identifiquem biomarcadores acionáveis capazes de empoderar o corpo clínico na tomada de decisões assertivas em prol de uma melhor jornada de tratamento para seus pacientes. Uma realidade almejada consiste num cenário onde todos os hospitais e centros oncológicos contem com a tecnologia de sequenciamento de nova geração (NGS) implementada e sendo utilizada de forma corriqueira na rotina clínica.

Com as tecnologias de hoje já é possível uma abordagem terapêutica do câncer de forma personalizada, ganhando agilidade no manejo clínico dos pacientes em poucos dias ao invés de semanas ou meses. Apesar do NGS ainda ser considerado uma tecnologia relativamente cara para o mercado brasileiro de saúde, as vantagens de sua implementação tem ganhado tração entre centros de referência e não deve demorar até que tenhamos uma mudança de paradigma nos anos vindouros.
A implementação do Sequenciamento de Nova Geração (NGS) em um hospital ou laboratório de patologia possibilitam algumas vantagens muito interessantes:

1. Agilidade no início do tratamento mais adequado e eficaz
A terceirização dos testes baseados em NGS, mais comumente traduzida no envio de amostras biológicas para o exterior, geralmente implica em longos períodos de espera, atrasando em semanas o início do tratamento sugerido pelo resultado do teste molecular. Com a implementação ou internalização dos testes, oncologistas e patologistas podem obter o perfil molecular tumoral em poucos dias.

2. Melhor aproveitamento do material biológico
Nem todo Sequenciamento de Nova Geração é igual. Laboratórios estrangeiros frequentemente utilizados como destino para o envio de amostras tumorais do Brasil requerem um conteúdo tumoral maior do que os padrões mínimos exigidos para os testes realizados em laboratórios brasileiros. Isso faz com que um grande número de amostras enviadas se esgotem e retornem sem resposta clínica, obrigando médico e paciente a se submeterem a um novo ciclo de intervenção para coleta de mais material tumoral.

3. Facilidade no acesso do paciente à tratamentos e ensaios clínicos
Os painéis NGS direcionados fornecem abordagens mais precisas sobre biomarcadores que permitem guiar pacientes à tratamentos ou ensaios clínicos aprovados. Painéis direcionados detectam múltiplos tipos de biomarcadores, acionáveis ou objetos de pesquisa, como mutações ou translocações-fusões, e fornecem informações suficientes para levar em consideração um grande número de terapias aprovadas ou opções de ensaios clínicos.

4. Aprimoramento da coordenação de cuidados mantendo amostras e resultados no laboratório.
Em posse da amostra biológica do paciente e com as devidas competências tecnológicas para realizar os testes no próprio laboratório, a equipe multidisciplinar se mantém atualizada com as informações clínicas do paciente junto do perfil genético tumoral. Dessa forma, o paciente tem acesso a um tratamento mais personalizado quando possível, permitindo que sejam realizadas adaptações terapêuticas conforme às necessidades com grande brevidade.

5. Resultados mais amplos sem maiores despesas
Você sabia que os testes tradicionais de genes únicos, que utilizam outras tecnologias, podem custar tanto ou até mais que um ensaio multigênico por meio da tecnologia NGS? Uma vez implementado pelo laboratório, o NGS pode ajudar a economizar tempo e dinheiro, ao mesmo tempo em que aumenta a eficiência dos resultados obtidos no laboratório.

Autores: Fabio Mury e Eduardo Razza